SAUDADE

A saudade já era muita!

Bolas, mesmo muita!

Deixaste-me mas ainda bem que puseste as coisas no seu devido lugar, principalmente a cabeça, né?

Chegaste à conclusão que eu e tu... tu e eu... nós dois... escusado será dizer, né?

Agora já sabes, não voltas a repetir a gracinha!!!



Sim! Tu, António Banderas Black Sensation- Perfume.

SÓ NÓS DOIS

Estávamos os dois juntos.
Juntinhos. Só nós dois.
Lá fora o vento soprava com alguma intensidade.
Eu estava ansioso. Nervoso até…
Era de madrugada. Horas? Não vi… Esqueci-me de ver!
As luzes estavam apagadas.
Sentei-me. Olhei-a de frente e pensei cá comigo: “É desta!!!”.
Levei as mãos aos botões. Aqueles botões… Pequeninos, redondinhos…
Acendeu-se logo!!!
Acariciei-lhe as linhas. Meu Deus! Tão suave!
Comecei por lhe fazer o que sabia.
Fiz TUDO o que sabia.
A cada toque meu, ela respondia.
E nós os dois, juntos, numa simbiose perfeita fomos indo, indo, cada vez mais depressa, mais depressa… E começámos a subir.
A subir. A SUBIR!!! Mais alto. Cada vez mais alto! Mais… Mais…
Podia jurar que éramos capazes de tocar as estrelas com as pontas dos dedos de tão perto estávamos.
Havia tremores que de vez enquando aconteciam… Não sei dizer se meus ou se dela.
E aí… Atingimos o topo. O mais alto. Até onde não podíamos mais ir. Mais não.
E assim estivemos por um tempo. Quanto? Não sei.
Inevitavelmente começámos a descer. Descemos, descemos, suavemente até atingirmos o solo. O chão. Cá em baixo. A Terra.
E, sempre juntos, na simbiose perfeita, parámos.
Parámos quietinhos.
O vento lá fora já não se fazia sentir.
Levantei-me. Antes de dar meia volta, olhei-a de novo. Um olhar apaixonado.
Beijei-a.
Saí como quem não quisesse sair.
Quando saí para a rua, beijei a porta.
A porta da minha aeronave.
A porta do meu Boeing 737-600.

SEI NÃO...

Estou relutante... Não sei se tomo banho ou se não...

É que... Se tomar banho perco o teu cheiro... Esse cheiro maravilhoso que desde ontem teimosamente não me larga (ainda bem!).

Sinto-te por todo o lado, na ponta dos meus dedos, na minha cara, no ar...

Tenho medo de, ao perder o teu cheiro, perder as recordações da mais maravilhosa noite que me proporcionaste desde que estamos juntos...

Porque tinhas que acabar? Porquê?

Estarás sempre comigo.

Sim! Tu, António Banderas Black - Perfume.

QUERIA.

Quero dizer, mas não sei como.

Talvez, começando pelo princípio. Dizendo que queria transferir para mim o teu sofrimento, para que, dentro do pouco que posso fazer, aliviar-te e assim evitar que passes por esta privação.

Queria, como se possível fosse, tirar-te deste horror e enfrenta-lo eu por ti, colocando-te dentro de mim, protegendo-te. Chorava, berrava, esperneava e no fim consolava-me, acarinhava-me e quando estivesses pronta, "paria-te".

Mas só posso torcer por ti, chorar contigo, mesmo não estando tu comigo. Manterei viva a tua imagem no meu pensamento, pois assim acredito que estou a dar-te forças e a ajudar-te a suportar.

Queria dizer e, se calhar, já disse.

Olha - numa pequena frase: CONTA COMIGO.

LUA COMPANHEIRA

É no raiar do dia que, quem está devotadamente ligado à madrugada e a tudo o que ela representa, sente o que lhe vai na alma, na mais pura verdade.

E é singularmente triste chegar à conclusão que a Lua, muitas vezes companheira da nossa solidão (já assim cantou o Poeta), não é afinal nossa fiel acompanhante, isso só porque, quem dedicamos tamanha devoção, não tem e não merece a aprovação da nossa Musa, dita vagabunda do espaço (também já cantado pelo Poeta).

Só nos resta pedir a Ti, Lua, que sejas suficientemente esclarecedora nas tuas indicações, cheias de novas luas crescentes, para que possamos entregar a outros marinheiros da madrugada, um bom porto de cheias marés, para que não tenham que passar pelos mesmos eclipses totais de escuridão por nós vividos e que não desejamos a quem queremos o mesmo bem que julgamos ser merecido a nós.

Paló
Luanda, 25/10/2011

ESTRADA FORA

M PARTI
PA CA SOFRÊ MÁS
NESS LUTA KE PA CABÁ K'MI

M SENTI
K'MA NHA FORÇA IND'Ê MÁS GRAND
SIMA DEUS, MAR, VENT I UNIVERS

NA CORAÇON RAÍZ Á BO TXAM
LEMBRANÇA NA ALMA F'CÁ MARCOD
SEM QUIMERA M TA SIGUI
PA ESTRADA FORA TEM UM NOVA VIDA
TEM UNS VERDAD, TEM OTS MENTIRA
M BEM PESS MUN KE PA PRENDê
I NADA M SABÊ KE PA INXNÁ.

DANNY MARIANO.

FOTOS LINDAS DA MINHA TERRA

24
Estrada nova Baía - Calhau

23
Praia de Bote à Noite

22
Nossa Torre de Belém

21
O Mercado de Peixe

20


19
Praça D.Luís na Avenida Marginal

18
Câmara Municipal de S.Vicente

17
Palácio do Povo

16
Cabo Verde Telecom

15
Panorâmica da Cidade do Mindelo

14
Vista parcial do Cais Acostável

13
Monte Verde

12
Praia da Lajinha

10


6


5
Ilhéu dos Pássaros (Djéu) vista do João Ribeiro

3
Panorâmica da Cidade/Monte Cara

2
Panorâmica do Monte Cara vista da casa do Bispo

1
Ilha de Santo Antão ao fundo.

CIÚMES?

Ciúmes? Hehehe, decididamente não! Já não temos idade para isso.
O que não queremos é sobressaltos, situações desestabilizadoras ou qualquer alteração do nosso bem estar.
Queremos manter a paz de espírito tão dificilmente alcançada ao longo destes anos e não investimos em algo que venha abalar estes alicerces implantados em terreno bom, até porque reconhecemos à distância quando um elemento pode comprometer a nossa estabilidade estrutural.
Chamemos-lhe maturidade, adquirida à força de umas quantas cabeçadas e pontapés levados, sabiamente reconvertidos em sabedoria, know-how e savoir-faire.

É FIXE SER 40TÃO!!!

CURSO PARA MARIDOS

São 4 módulos:

Módulo 1: Introdução (Obrigatório)

1 - Aprender a viver sem a mãe. (2.000 horas)
2 - A minha esposa não é a minha mãe. (350 horas)
3 - Entender que não se classificar para o Mundial não é a morte. (500 horas)

Módulo 2: Vida a dois

1 - Ser pai e não ter ciúmes do filho. (50 horas)
2 - Deixar de dizer impropérios quando a mulher recebe suas amigas. (500 horas)
3 - Superar a síndrome do 'o tele-comando é meu'. (550 horas)
4 - Não urinar fora da sanita. (1000 horas - exercícios práticos em vídeo)
5 - Entender que os sapatos não vão sozinhos para o armário. (800 horas)
6 - Como chegar ao cesto de roupa suja. (500 horas)
7 - Como sobreviver a uma gripe sem agonizar. (450 horas)

Módulo 3: Tempo livre

1 - Passar uma camisa a ferro em menos de duas horas. (exercícios práticos)
2 - Tomar a cerveja sem arrotar, quando se está à mesa. (exercícios práticos)

Módulo 4: Curso de cozinha

1 - Nível 1. (principiantes) - os electrodomésticos - ON/OFF = LIGA/DESLIGA
2 - Nível 2. (avançado) Minha primeira sopa instantânea sem queimar a panela.
3 - Exercícios práticos ferver a água antes de pôr o spaghetti.

Cursos Complementares

Por razões de dificuldade, complexidade e entendimento dos temas, os cursos terão no máximo três alunos.

1 - A electricidade e eu: vantagens económicas de contar com um técnico competente para fazer reparos.
2 - Cozinhar e limpar a cozinha não provoca impotência nem homossexualidade. (práticas em laboratório)
3 - Porque não é crime oferecer com flores, embora já tenha se casado com ela.
4 - O rolo de papel higiénico: Ele nasce ao lado da sanita? (biólogos e físicos falarão sobre o tema da geração espontânea)
5 - Como baixar a tampa da sanita passo a passo. (tele-conferência)
6 - Porque não é necessário agitar os lençóis depois de emitir gases intestinais. (exercícios de reflexão em dupla)
7 - A Condução e Os homens: Eles podem pedir informações sem se perderem ou correr o risco de parecerem impotentes. (testemunhos)
8 - O detergente: doses, consumo e aplicação. Práticas para evitar acabar com a casa.
9 - A máquina de lavar roupa: esse grande mistério.
10 - Diferenças fundamentais entre o cesto de roupa suja e o chão (exercícios com musico-terapia)
11 - A chávena de café: ela levita, indo da mesa à pia? (exercícios Dirigidos por Mister M)
12 - Analisar detidamente as causas anatómicas, fisiológicas e/ou psicológicas que não permitem secar a casa de banho depois do banho.


O curso é gratuito para homens solteiros e para os casados damos bolsas.

MÚSICOS DE CABO VERDE

Mais uma excelente iniciativa do Djinho Barbosa.

Queiram senhores, visitar este LINK e, caso tenham alguma informação válida, sintam-se à vontade para colaborar.

SAÚDE DE BORLA



If you can't afford a doctor, go to an airport - you'll get a free x-ray and breast exam, and, if you mention Al Qaeda, you'll get a free colonoscopy.

Se você não puder pagar um médico, vá para um aeroporto -
vai ter um raios-X de borla, bem como um exame à mama e, se mencionar a palavra Al-Qaeda, vai ter também uma colonoscopia de borla.

AH SE JOTAMONTE ESTIVESSE VIVO...



Música de Cabo Verde...simplesmente! É maravilhosa a interpretação da Dina Medina. Deixou-me siderado, confesso! Parabéns Dina. Zé Afonso.

Assino por baixo, mano.

MAIS UMA VEZ: DJINHO BARBOSA

Passando em revista a blogesfera que por esta net existe, visitei, como é hábito, o blog do meu amigo Barbosa - Son di Santiago - onde encontrei um post bastante interessante, muito importante, diria, tratado com o habitual humor que caracteriza este meu amigo.

Trata-se da limpeza e conservação da área onde se encontra a estátua de Amílcar Cabral, situada ao lado do Auditório Nacional, na Cidade da Praia.

Passo ao copy/paste:

Foto:Son di Santiago

"Que se institua um item nas programações do Estado e Governo de nome "Lavagem da Estátua de Amílcar Cabral". Jacto de água no Amílcar...

O evento teria parada militar, honras de Estado, participação dos combatentes, escolas, juventude, população em geral e turistas.

Serviria ainda para limpar toda a área e manter "sempre fresca" a imagem do líder maior desta nação.

Seria um show e o homem merece
."

ADOREI O QUE VI

Estava eu na Cidade da Praia, para mais um concerto e dirigia-me à sala de ensaios do grupo Ferro e Gaita, no Parque 5 de Julho.

Ao dobrar a última esquina, deparei com um cenário que me deixou espantado.



Encontrei jovens-jovens e jovens-adultos, todos agarrados a um... instrumento musical. Trombone de vara, Clarinete, Saxofone Alto e muita percussão. Cada um com o seu professor de lado, de pauta em punho, praticando a execução e a leitura.


Ter encontrado o meu amigo saxofonista Totinho, foi comovente.

E não estavam em salas de aulas... Sentados, uns, à beira da porta da sala de ensaios, de pé outros, mas sempre praticando.


O meu amigo Betinho, entre outras coisas, taxista e baixista (meu ex-aluno de baixo, meu ex-baixista do Projecto "Os Inimigos do Ritmo" no Hotel Praia-Mar), agora às voltas com o Clarinete, disse-me "Resolvi aprender o Solfejo e adoptei o Clarinete como novo instrumento".

A-D-O-R-E-I.

Força Beto!

Parabéns aos autores desta iniciativa.